PSD Projeto Sonhos Demissionários

PSD, Projeto sonhos demissionários, canetas coloridas s/ calendário, 2017-18

Trabalho de arte que consiste numa primeira etapa da marcação num calendário de todas as noites que sonhei com pessoas e/ou com os lugares que fui demitido no final de 2016. Os nomes estão anotados por siglas e, conforme a cor, são classificadas como pessoas boas ou como pessoas más.

 

 

A Bruxa


Nestes tempos de terror punk rock, a bruxa é um terror quarteto de cordas. Nada é exageradamente explícito no filme. Mais do que isso, ele vai lento e climático construindo a atmosfera densa e religiosa e profana que ele constrói.
Não é que nao tenha sangue, não é que nao tenham cenas fortes mas, perto da enxurrada gore que os filmes de terror precisam ter hoje em dia pra manter sua plateia longe do whats, este filme aqui apostou muito mais no clima do que na tempestade. Tanto é que a cena final foi bem criticada por alguns, por quebrar esta atmosfera de bergman-cronenberg q o filme impoe nos restantes 90% dele. Eu discordo, eu nao mudaria nada. Depois que ele acaba, se você pensar, ele vai se desenvolvendo, desde o começo, num crescendo de afirmação daquilo que ele quer nos dizer. A cena final só sublinha tudo assim como a moral da história conclui os contos de fadas.
Se eu tivesse estofo para tal, escreveria uma tese psicologica fundamentada em Freud e Jung ao mesmo tempo. Sim, sim eu sei que eles divergiram, mas, foda-se, seria eu mesmo que iria escrever esta tese.
Como eu disse antes, o filme nao deixa dúvidas sobre os acontecimentos, assim como as historias clássicas de bruxas também nao deixam. Apesar disso, pelo seu simbolismo, por ter sido baseado em lendas e relatos escritos da época em que se passa o filme, inclusive o diretor teve as manha de usar em varias partes do filme, os dialogos originais transcritos de documentos de época (século XVII). Entao, apesar disso, de sua concretude enquanto historia de bruxa, ele também pode ser visto e analisado psicologicamente. A menina que deixa de ser criança e ingressa na puberdade. A sexualidade feminina florescendo. E por ai vai, ou melhor, alguem q vá se ja nao foi, pq eu nao tenho competencia para tal. Cybelli Morello Labate que tal?
Belo filme climatico de terror que sabe usar muito bem usado todos os arquetipos de historias de bruxa e de deus e o diabo na terra do frio. Apesar de tudo que eu falei aqui, seria bom que vc, ao assistir, nao esperasse muito do filme e só chegasse a conclusao que ele é um filme muito bom quando ele terminasse. A expectativa, num filme lento e climático, pode ser a ruína deste próprio clima denso que se forma sutilmente durante todo ele. Então, neste momento, desleia este texto e vai la ver. Depois vcs me contam.

ps. para vc que nao gosta de filme de terror mas gosta de um drama psicologico, tente esse. É só você achar que tudo que acontece no filme é psicologico.
ps. 2 vcs vao conhecer a lebre mais meda do cinema depois do frank o coelho do donnie darko

Tau


Mocinha sequestrada por cientista louco só se o filme for bom em demasia para eu aguentar misoginia nerd ancestral.
Assisti 19 minutos e pensei, Tau na hora de parar de ver çabosta. Se alguem assistir inteiro e me disser q é bom eu vejo o resto, mas olha um boi voando lá olha que isso aí vai ser bom uma hora!
ps. nao se iluda pela imagem do filme q coloquei aqui.

Secret City


Serie em 6 episodios australiana com a linda e voz maravilhosa de ostra com resfriado da atriz do fringe. Série política, um house of cards com mais ação e mais intriga, ou melhor, mais nao, mas mais concentrada pq sao seis episodios e acaba. Mesmo que continue, que resolvam fazer uma segunda temporada, o que foi proposto como problema e mistério na primeira é resolvido na primeira.
Dica, comece a ver numa hora que voce tenha tempo pra ver pelo menos uns cinco episodios dos seis de uma vez só, pq vc nao vai parar de ver enquanto nao acabar. É porreta.
Estudante australiana faz um protesto pela libertacao do tibet na china. Estudante fugindo de perseguidores pela noite de Camberra, engole um chip de celular e se joga da ponte, depois aparece morto nas margens do lago. Jornalista fodona fringa começa a investigar esta morte e comeca a ver que as coisas podem ter muitod desdobramentos que vao ate navios no mar do norte(?) do japao(?), estados unidos china e australia e pode virar um grande conflito diplomatico e/ou uma guerra mesmo. Ah, vao lá ver. No começo nao estava entendendo nada, depois entendi tudo, ou melhor, o q eu nao entendi eu tb esqueci que nao tinha entendido. tenho deficit de atenção para tramas elaboradas. Muito boa, mas muito boa mesmo esta série. Não percam.

Maktub


É isso que eu gosto neste netflix, viajar pelo cinema de vários países, ver as particularidades da vida cotidiana de todos nós, seres humanos inquilinos deste planeta de terra e agua.
Óbvio que eu fiquei com vontade de comer aqueles docinhos lá que eles comem. E de tomar aquele chá lá no copo de pinga, é chá aquiloFernando Vugman?
Maktub, segundo minha referência paulo coelho, significa “esta escrito”, se é isso mesmo fiquei com preguiça de procurar no google e tb, sendo isso, ajuda muito na explicacao do filme.
Dois caras bem mafiosos, daqueles que pegam as propinas que os comerciantes pagam, batem neles e tals, resolvem ajudar as pessoas q deixam pedidos no muro das lamentacoes. Decidem isso lá por um motivo que vcs vao saber assistindo ao filme. É uma comédia, mas é uma comédia israelense, entao não não espere um pastelão, no máximo um varenike.
É um filme sobre pessoas más sendo boas, ou seja, ações de bondade q transformam pessoas que faziam coisas ruins a se tornarem pessoas boas. É um bonito filme, historia legal, adorei escutar a língua hebraica falada no cotidiano. Adoro assistir filmes em outras linguas que eu nao entendo nada só para ver a sonoridade delas. E a lingua escrita então? Coisa lindas aqueles quadradinhos que parecem quando a gente ta marcando quantas vezes cada um foi votado para ser representante de classe.
Muito legal. Se fosse um filme francês seria um filme gay. Como é um filme israelense, também é um filme gay, mas no estilo gay de ases indomáveis com o tom cruise. Reparem, a amizade dos dois é acima de tudo, sao capazes de morrer um pelo outro, as mulheres tentam, mas é bem dificil transar com eles. Em dois momentos diferentes , os dois estao vestidos de mulher e formando um casal, a mulher mais importante do filme, na verdade, é “apenas” a mae do menino “filho dos dois”. E por ai vai. Óbvio que tudo isso pode ser loucura da minha cabeça, e mesmo assim, nao é um problema. Só estou comentando aqui pq teoricamente é uma comedia sobre dois homens heteros com problemas de maldade/bondade e paternidades, mas na pratica os dois formam um casal com filho.
ps. um dos cara é a cara do paulo ricardo boliviano acima do peso 

Narciso visto pelos peixes, 2018

Narciso visto pelos peixes, escrita e colagem s/ tela, 40 x 30 cm, 2018

Fui convidado em dezembro do ano passado, junto com mais nove artistas para participar de uma exposição de arte que aconteceria simultaneamente o Congresso Internacional de Psicanálise Bion 2018 aqui em ribeirao. A proposta era q cada um dos artistas criasse uma tela cujo tema seria o mesmo do congresso, ou seja, Pensamentos Selvagens. Uma videomaker registraria o processo criativo de cada um dos artistas e criaria um video que seria exibido na abertura do congresso junto com as telas feitas pelos artistas convidados.
Óbvio I que nenhum dos artistas receberia nenhuma ajuda de custo para se dedicar ao processo criativo de cosntruir e estar envolvido com este projeto durante praticamente seis meses até o dia do congresso.
Óbvio II que eu achei uma proposta quase pornográfica essa que fizeram pra mim e para os outros artistas, só confiando no nosso narcisismo de ser visto em ambiente tão acadêmico, renomado e sacerdotal e ainda com a possibilidade sedutora de ter nosso trabalho vendido durante o evento, sem ter nenhuma ajuda de custo para isso em um congresso em que o valor final e cheio da inscrição para participar como ouvinte beirava os quase 1.200 reais.
Eu pensei em não aceitar o convite, mas depois pensei q devido a minha longa historia de artista polêmikah eu deveria fazer algo mais legal, ja que o tema Pensamentos Selvagens me permitia tal devaneio. Assim, minha tela “Narciso visto pelos peixes” foi feita com os pensamentos mais selvagens e nao reprimidos que eu tive sobre a situação vexamosa de ser convidado pra trabalhar de graça pq artista vive de vento no imaginário popular (e acadêmico). Só pra satisfazer meu narcisismo.
Óbvio IV que resolvi satisfazer meu narcisismo aparecendo de outra maneira neste congresso. É por isso que a tela se chama Narciso visto pelos peixes. É o momento em que narciso afunda na agua, apaixonado por sua imagem mas visto pela ótica dos peixes. É o peixe que está vendo o narciso vendo sua imagem. Sou eu que pego a sedução do convite feito pra mim artista narcisista e mostro que quem propoe tamanha obscenidade só propoe isso, só tem coragem de propor isso, pq é muito mais narcisista do que aquele que ele tenta seduzir.
Pensamentos selvagens, justo pra mim, pediram isso. Não foi facil, e foi bom que nao foi. É foda escrever o que vc está pensando sem censura e saber que quando sair de vc estará no mundo, neste mundo polido e educado das conversas sociais que sao construidas sobre estes pensamentos.
Ainda como parte do conceito da tela, o valor dela foi calculado da mesma maneira que eu calculo o valor de venda do meu arroz doce, ou seja, o valor do que eu gastei materialmente falando multiplicado por 3 para incluir o trabalho e o lucro no valor final. O preço da minha obra ficou, usndo este calculo, em R$ 41,70 que poderiam ser pagos em 3 x de 15 reais se fosse o caso. Eu vendi a tela e o comprador me perguntou se era este valor mesmo. Eu disse que sim, que se nao fosse nao teria graça. E também disse que nao poderia ser arredondado. Ele comprou a tela e eu tenho um recibo da transferencia que ele fez pra minha conta neste exato valor de 41,70 que agora também faz parte da historia da obra.

Cleido Vasconcelos

 

Ao me deparar com essa tela pela primeira vez, com fita crepe e rabiscos de caneta, tive a impressão de uma birra ou esperneio, de uma inquietação expelida de qualquer jeito. De forma muito semelhante, fiquei eu com essa impressão imediata, sem pensá-la direito, de qualquer jeito.

À medida em que o evento transcorria, observei certas falas muito racionalizadas, sobre temas que mais me pareciam estéticos, afetivos. Bion descreve um funcionamento protomental, quando não se tolera mudanças ou um contato mais próximo com a realidade. Há uma atitude de enganar-se, frente aos pensamentos que invadem o humano. Seria a tela algo expelido, ou teria sido eu quem a expeli de imediato, num enganar-me?

Lembro-me do vídeo da composição das obras. O artista falava, falava tanto, que essa parte foi divertidamente acelerada. Parecia haver bastante pensar, sonhar, processo. Há, entre as canetadas, uma proposição que atrela o conceito da obra a um valor de venda incomum. Resolvi permitir-me tocar por ela, e entrar em contato com o artista.

A princípio, perguntei-lhe apenas se o valor era aquele mesmo. Eis que sua resposta foi comprometida, não aceitando um centavo a mais ou a menos. Uma frase me saltou aos olhos, “mas que graça teria”. A reflexão sobre o próprio narcisismo é rica, demonstra honestidade. Mas Cleido, não acho que foi só por isso que você decidiu ir à frente com a proposta (ainda que pornográfica). Penso ter visto muito compromisso com a realidade de suas emoções.

Há muito mais que narcisismo, existe uma experiência estética de encontrar a expressão genuína da realidade de seu viver. Há sim muita graça nisso. Narciso é visto pelos peixes, e da fantasia é feita realidade, espontânea e verdadeira. Obrigado.

Edson Detregiachi